Onion Podcast - Empreender -06 - Jorge Paulo Lemann

Podcast – Empreendedor – Jorge Paulo Lemann

Podcast – Empreendedor – Jorge Paulo Lemann

Descrição do episódio

Tudo que você não espera ouvir do empreendedor mais bem sucedido do país são os erros que ele cometeu.

Erros, no plural mesmo. Façanhas de um jovem de mais de 70 anos que discorre sobre seus pequenos feitos que não deram certo com o mesmo entusiasmo que compartilha os seus acertos.

Jorge Paulo Lemann, junto com seus sócios, Beto Sicupira e Marcel Telles, são os nomes por trás de empresas referências para o Brasil: AB Inbev, Burger King e Kraft Heinz. Mas até construir o que construíram, muitas águas rolaram. E, se não tivessem “apanhado muito”, talvez eles não seriam o que são hoje.

Ouça o Day1 do Jorge Paulo Lemann e conheça um lado pouco conhecido de sua história. #Day1 @endeavorbrasil

Podcast – Empreendedor – Jorge Paulo Lemann

Via: Endeavor Brasil

 

Quem é Jorge Paulo Lemann?

Jorge Paulo Lemann costuma falar que “sonhar grande dá o mesmo trabalho que sonhar pequeno”.

Ele sabe do que está falando. É um economista e empresário nascido no Rio de Janeiro, filho de pais de origem suíça (o pai nascido lá, a mãe, filha de emigrantes) dos quais herdou a cidadania dupla, e uma das pessoas mais ricas do mundo.

Junto com seus dois principais sócios, Marcel Telles e Beto Sicupira, Lemann ergueu um império do capitalismo mundial. Criou o Banco Garantia e investiu em empresas como Lojas Americanas, Brahma e a Antarctica, que formariam a Ambev, o embrião da que hoje é a maior fabricante de cervejas do mundo, a AB InBev.

Investiu ainda em empresas como Telemar, Gafisa e ALL e, com a fundação do fundo 3G Capital, comprou as redes Burger King, Tim Hortons, Popeyes e Heinz, esta última em parceria com o investidor Warren Buffett, de quem é amigo pessoal.

Ex-jogador de tênis profissional e entusiasta da educação, é idealizador de três entidades filantrópicas: Fundação Estudar, Fundação Lemann e Instituto Tênis.

Empreendedor – Jorge Paulo Lemann – Família e formação

Jorge Paulo Lemann nasceu no Rio de Janeiro, em 26 de agosto de 1939, em uma família que nunca teve problemas com dinheiro.

Seu pai veio da Suíça para o Brasil no começo do século XX, deixando para trás o negócio de fabricação de queijos e laticínios da família – que existe até hoje.

Primeiro, trabalhou em uma fabricante de sapatos mas, depois de uns anos no Rio de Janeiro, resolveu retomar o negócio da família e abriu uma fábrica de laticínios em Resende, a Lemann & Company — ou, simplesmente, Leco.

Seu pai se casou com Anna Yvette, filha de um casal de suíços, e foi morar no Leblon em uma casa sem extravagâncias. A morte prematura do pai, quando Jorge Paulo tinha 14 anos, abalou a família, mas Jorge Paulo continuaria dedicado aos estudos.

Ele se formou no ensino médio, anos depois, e recebeu dos amigos o título de “most likely to succeed” – algo como aquele com mais chances de ter sucesso.

Seguindo os passos de um primo, foi estudar economia em Harvard, em 1957, e chegou a ser convidado a passar um ano longe da faculdade depois de um episódio que envolveu fogos de artifício no campus.

Mas, em vez de se afastar, Jorge Paulo retomou os estudos decidido a terminar o curso em dois anos em vez dos três habituais – e conseguiu.

Empreendedor – Jorge Paulo Lemann – De volta ao Brasil

Como qualquer recém-formado, Jorge Paulo saiu em busca de trabalho.

Queria trabalhar no mercado financeiro e conseguiu uma vaga na Deltec, empresa criada no Rio de Janeiro em 1946 para negociar ações no mercado latinoamericano. Lá, seu primeiro chefe foi Roberto Teixeira da Costa, que, em 1976, seria o primeiro presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Com isso gerou  desanimo com o estado embrionário do mercado de capitais no Brasil, resolveu usar sua dupla cidadania suíça e tentar um estágio no exterior. Conseguiu uma vaga no banco Credit Suisse, em Genebra. E odiou.

A burocracia e os processos lentos e engessados fizeram com que o jovem pedisse para sair do estágio depois de sete meses e se dedicasse, por um tempo, ao esporte que sempre praticou: tênis.

Em 1963, de volta ao Rio, foi contrato pela financeira Invesco. Ele estruturou uma área de mercado de capitais que, em pouco tempo, começou a incomodar as tradicionais operadoras da Bolsa de Valores com uma espécie de “bolsa paralela” que chegou a movimentar 5% do volume da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.

Empreendedor – Jorge Paulo Lemann – Lições

Em pouco tempo, foi promovido a sócio da empresa mas, em 1966, mas a Invesco quebrou.

Dessa primeira quebra, Lemann afirma que tirou duas lições:
1) é tão importante cuidar das receitas quanto das despesas
2) é preciso ter gente boa e bem remunerada em todas as áreas de negócio. Essa ideologia faz repetir a frase “goleiro também tem que ganhar bem”.

Na sua passagem pela Invesco, ele conheceu Jorge Carlos Ramos da Silva, que seria seu sócio no próximo negócio: a corretora Libra.

A dupla fez a corretora deslanchar e dar chance para vários talentos que acompanhariam Lemann em outras empreitadas, como Luiz Cezar Fernandes.

Em 1970, aos 31 anos, depois de tentar, sem sucesso, comprar o controle da Libra,  vendeu sua participação por US$ 200 mil.

No ano seguinte, com o dinheiro, as pessoas certas – Ramos da Silva e Luiz Cezar – e dois investidores, comprou o título da corretora Garantia.

Em 1972, Marcel Herrmann Telles foi contratado para trabalhar como liquidante e, em 1973, Carlos Alberto Sicupira, que conhecera Lemann praticando pesca submarina, começou a trabalhar na corretora.

A longeva sociedade entre Lemann, Telles e Sicupira só foi possível graças a alguns pilares: os papéis dos três sócios sempre foram bem definidos; um não interfere no trabalho do outro e os três seguem os mesmos valores e dividem o mesmo apreço pela simplicidade e aversão aos holofotes.
Em 2000, eles redigiram um acordo de sócios, com a intenção de facilitar a sucessão já que, somados, os empresários têm 11 herdeiros.

Via: Infomoney Para Saber Mais

 

 

Podcast – Empreendedor – Jorge Paulo Lemann –